banner com montanhas e lago com fotos da Estancia La Carmen

Um pouco de história

No final da década de 1930, Emilio Fernández García Matos, um grande conhecedor da margem sul do

Lago Fagnano

começou a considerá-la como uma área com possibilidades de desenvolvimento pecuário, florestal e até mesmo turístico.

Esse lugar virgem não interessava a ninguém devido à sua acessibilidade precária, sem estradas ou rotas que o comunicassem com

Ushuaia

ou Rio Grande. O clima austero, com ventos fortes e invernos rigorosos, é povoado apenas por uma grande massa florestal e pântanos de turfa, tudo cercado por uma beleza incrível.

Assim, Don Milin decidiu solicitar uma licença de pastoreio ao governo marítimo, que foi concedida em troca de três requisitos:
1- A bandeira argentina deve ser hasteada 24 horas por dia.
2- Morar no local
3- Desenvolver um projeto de economia local

A primeira ocupação foi na área da Península da Bahia, quase na fronteira com o Chile, para a criação de ovelhas. Don Milin avançou gradualmente para o leste do

Lago Fagnano

em busca de melhores campos e construiu seu primeiro posto com tábuas feitas com machado e serra em La Carmen. Em seguida, avançou cerca de 15 quilômetros e construiu o posto do rio Milna nas margens do rio Milna.

Ele continuou por mais 7 quilômetros até chegar à lagoa Kosobo, onde fundou o rancho Los Alamos. Lá ele constrói a casa da família, currais, cercados, galpões, etc.

A geografia da área não era adequada para a criação de ovelhas, somada aos carrapatos e aos cães selvagens que atacavam os rebanhos, o que levou ao fracasso dessa atividade. Então, Don Milin decidiu ser o pioneiro na criação de vacas na região, trabalhando arduamente durante décadas para criar uma raça adequada à área e com boa qualidade de carne.

No início da década de 1950, ele conhece Mama, La Negra, por quem se apaixona em circunstâncias muito especiais, quase à primeira vista.

A família de La Negra costumava cortar lenha para vender, com ferramentas rudimentares, um machado e uma serra. Eles moravam em um lugar conhecido como 17, na Rota 3, a caminho de Ushuaia, onde Milin costumava passar com seus rebanhos de ovelhas. Quando ele soube que alguém daquela família estava escondido embaixo do
um esgoto para roubar cordeiros dele, muito irritado, ele foi falar com eles.

Lá ele conheceu La Negra, Milin foi cativado e, a partir daquele dia, nunca mais se separaram. Eles formaram uma grande família. Eles tiveram 9 filhos, 6 meninos e 3 meninas.

Eles conseguiram produzir 300 vacas matrizes, 25 cavalos mansos, 20 cavalos reprodutores e ovelhas para consumo familiar. Eles criaram pastagens e conseguiram fechar o circuito econômico abrindo seu próprio açougue em Ushuaia.

O sonho de Don Milin

Foi na década de 80 que Adrian Dario Fernández (filho de Don Milin) decidiu visitar a estância La Carmen com Marcela e seus filhos.

As palavras de seu pai sempre ressoavam:
“(…) Desenvolvi a criação de vacas porque não tinha outra opção, mas sempre soube que o futuro dessa área é o turismo. Isso
lugar que você tem que mostrar para o mundo…”.

O trabalho era árduo e complexo. Não havia sequer estradas, mas o objetivo já estava traçado….

A ESTANCIA LA CARMEN É NOSSO LAR E É TODO O AMOR QUE DAMOS A ELA. TEMOS ORGULHO DE COMPARTILHÁ-LO COM TODOS VOCÊS.